Unidades de Acolhimento Emergencial serão mantidas até março de 2021, diz Neto

Unidades de Acolhimento Emergencial serão mantidas até março de 2021, diz Neto
Elas foram criadas no início da pandemia de Covid-19 Foto: Valter Pontes | Secom

As Unidades de Acolhimento Emergencial (UAEs) irão funcionar até março de 2021. Elas foram criadas pela Prefeitura no início da pandemia do novo coronavírus, para garantir o abrigamento provisório para pessoas em situação de vulnerabilidade em Salvador. Os termos de colaboração com as Organizações da Sociedade Civil (Oscips) da capital foram renovados em anúncio feito pelo prefeito ACM Neto nesta quinta-feira, 1º, durante a entrega de uma geomanta na 1ª Travessa Pacheco de Oliveira, no bairro da Fazenda Grande do Retiro

Com a renovação do contrato com a Associação Pleno Cidadão (Aspec) e a Casa das Pérolas, 346 vagas para acolhimento emergencial provisório sejam mantidas nas unidades situadas na Liberdade, Roma, Boca do Rio e Coutos por mais seis meses, serão possibilitadas.

“Nós já tínhamos um trabalho anterior com unidades fixas, mas aí veio a pandemia e de imediato nós percebemos que as unidades que nós tínhamos não seriam suficientes para acolher a todos. Por isso, nós alugamos hotéis, motéis e outras estruturas que pudessem receber essas pessoas e contamos com essas organizações, que têm tido uma preocupação muito especial com as unidades de acolhimento”, afirmou ACM.

“Em todas elas nós temos oferecido atendimento médico, acompanhamento psicológico. As pessoas são acolhidas em ambientes seguros e limpos e recebem diariamente refeições. Nós também damos todo o material de higiene pessoal e elas ficam o tempo que for necessário, principalmente agora durante a pandemia, em uma estrutura mais reforçada”, destacou.

Investimento:

 O valor do investimento para a renovação de contrato com as duas organizações é de aproximadamente R$4 milhões. O contrato abrange 80 vagas para homens, mulheres e casais na unidade da Liberdade, 56 vagas para homens com sintomas de alguma infecção ou do coronavírus na unidade de Roma, 160 para homens e casais na Boca do Rio e por fim, 50 para famílias na unidade de Coutos.

“Criamos quase 800 novas vagas de acolhimento dando suporte aos assistidos com alimentação e toda uma estrutura para garantir a preservação dos direitos. As unidades de acolhimento seguem um rígido protocolo como muita atenção à higienização e distanciamento para que, além de todos os benefícios da unidade, o cidadão também possa estar seguro e saudável, com a diminuição dos riscos de contaminação por coronavírus”, declarou a titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), Juliana Portela.

Ao todo, 1.121 vagas continuarão sendo disponibilizadas nas 20 Unidades de Acolhimento Institucional de Salvador. Além disso, as estruturas prestam serviços de moradia, com suítes e quartos individualizados, higienização, alimentação com três refeições diárias, atendimento psicossocial por meio de equipe multidisciplinar, atividades em grupo e individuais, encaminhamento a diversos órgãos e acesso a benefícios sociais, como Auxílio Aluguel, Primeiro Passo e Bolsa Família.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *