Startup baiana produz filtro para ar condicionado que promete eliminar coronavírus do ambiente

Startup baiana produz filtro para ar condicionado que promete eliminar coronavírus do ambiente
Equipamento de proteção também já foi testado em climatizadores de automóveisFoto: Divulgação

A Salvar, Startup com propósito de salvar vidas criada pela Loygus e Senai Cimatec, acaba de lançar um filtro para aparelhos de ar condicionado com capacidade de reduzir 99,9% a carga viral, incluindo o coronavírus, presente em ambientes fechados.

O filtro ainda teve eficácia comprovada de até 80% na redução de fungos e bactérias. O acessório é de fácil uso e manuseio e pode ser instalado em praticamente todos os aparelhos. Seu funcionamento ocorre como uma barreira filtrante do fluxo de ar no ambiente que retém agentes infecciosos virais e bacterianos, controlando dessa forma a disseminação de partículas contaminadas através do sistema de climatização.

Segundo Letícia Alencar, pesquisadora do Senai Cimatec, a inovação representa um ganho substancial no combate à proliferação do novo coronavírus, já que diversos estudos comprovaram que a covid-19 pode ser transmitida pelo ar, principalmente em locais fechados equipados com aparelhos de climatização.

“Uma pessoa contaminada exala partículas contagiosas que podem ficar suspensas no ar durante horas e alcançar distâncias maiores, são os chamados aerossóis. Com o turbilhonamento e a recirculação do ar em ambientes com equipamentos para climatização o efeito aerossol é potencializado e aumenta o risco de contágio”, explica a pesquisadora responsável pelos testes microbiológicos.

Entenda as características do filtro e como ele funciona

Atualmente os modelos de ar-condicionado disponíveis no mercado possuem diferentes tipos de filtros, mas que atuam apenas como barreira mecânica à poeira ou partículas maiores suspensas no ar. O protótipo desenvolvido no Senai Cimatec faz com que o ar que entra no aparelho passe por uma barreira filtrante, retendo nanopartículas com tamanhos dos agentes infecciosos virais e bacterianos e evitando que estes retornem ao ambiente fechado.

Produzido com matéria-prima composta por barreiras físico-químicas, o filtro apresenta potencial de inativação de 99,9999% da carga viral, além de reter até 80% dos fungos e bactérias presentes no ambiente. Os dados informados passaram por testes em quatro laboratórios independentes e certificadores. De acordo com Loyola Neto, os filtros serão confeccionados em modelagem ajustável de modo que atenda a diversos tipos de climatizadores, domésticos ou industriais.

O equipamento de proteção também já foi testado em climatizadores de automóveis e tem potencial de proteção especialmente para veículos de transporte coletivo, como ônibus e metrôs, que reúnem grande número de pessoas. Outra característica importante é que o filtro pode ser produzido em larga escala, terá preço acessível, pode ser facilmente instalado nos aparelhos e terá um selo de garantia: o selo Ponto Azul, que identifica e assegura a presença do filtro naquele local. Sua vida útil depende de fatores como o tempo de operação do climatizador e a quantidade de partículas (poeira) em suspensão no ambiente, podendo atingir uma durabilidade de 3 meses, conforme recomendação da Resolução – RE n°9 da Anvisa.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *