Prefeitura de Salvador anuncia novas medidas restritivas contra a Covid

Prefeitura de Salvador anuncia novas medidas restritivas contra a Covid
O prefeito teme que, com o rápido crescimento no número de casos e internamentos, o sistema público e privado de saúde entrem em colapso.Foto: Shirley Stolze | Ag. A TARDE

Fernando Valverde e Cássio Santana

O prefeito Bruno Reis (DEM) determinou na manhã desta segunda-feira, 22, o fechamento das praias em Salvador, medida que passa a valer a partir desta quarta-feira, 24. A ação da prefeitura é uma resposta ao avanço dos casos de Covid-19 na cidade após o aumento registrado nos últimos dias, com a taxa de ocupação dos leitos UTI  atingindo a marca de  83% na capital baiana.

O decreto valerá por sete dias com possibilidade de prorrogação. “Esperamos conter o crescimento da onda nesses sete dias e vamos avaliando a necessidade de medidas mais restritivas ou, no futuro, flexibilizar algumas”, afirmou Bruno. 

Além das praias, os clubes sociais, campos e quadras da cidade também serão fechados. De acordo com o prefeito, a iluminação destes espaços será retirada para evitar o descumprimento do decreto.

“A partir de amanhã, nós vamos retirar a iluminação de todos campos e quadras. Estarão fechados em Salvador. Não permitiremos a utilização de equipamentos. A partir de quarta, todas praias de Salvador estarão fechadas. Demos um prazo de 48h por causa dos ambulantes, barraqueiros, que terão hoje e amanhã para se organizarem. Todas praias fechadas em Salvador. Quarta feira, todos clubes sociais também serão fechados em Salvador, e com isso, a fase três será totalmente desativada”, afirmou.

Bruno Reis também lembrou que, com as novas medidas restritivas,  Salvador passa a desativar por completo a fase três do plano de retomada das atividades econômicas, culturais e sociais durante a pandemia, reativada a partir de agosto de 2020.

De acordo com o democrata, as interdições “são medidas necessárias diante de um momento tão difícil” e têm como objetivo ampliar o isolamento social para conter o avanço de casos da Covid-19 e evitar um possível colapso na rede de assistência à saúde.

“Preciso chamar atenção que, se nós estamos com problema na rede pública de saúde, na rede privada, infelizmente, a situação ainda é mais grave. Conversei com prestadores de serviço neste final de semana, recebi relatório e poucas unidades particulares ainda não chegaram a 100% na ocupação dos seus leitos. Isso se deve, primeiro, ao fato de ter aumentado muito a demanda devido à Covid e, segundo, porque existem unidades enfrentando fluxo por outros atendimentos como AVC e doenças de coração, que requerem UTI”

Novos leitos

Com a elevação no número de casos e internações na capital, o prefeito anunciou que 24 consultórios odontológicos em unidades de Saúde serão convertidos em leitos de enfermaria para tratamento da Covid-19. De acordo com Bruno Reis, a iniciativa irá suprir o déficit de leitos de enfermaria na cidade, atualmente estipulado em 71.

“Vamos transformar 24 unidades de saúde, com espaço para atendimento bucal. Vamos transformar essas salas para funcionarem como leitos de enfermaria. Serão mais 75 leitos de enfermaria só com essa manobra administrativa”, afirmou o prefeito.

Para Bruno, as medidas têm caráter de urgência, porque os leitos de UTI na capital estão chegando ao limite máximo de ocupação. O gestor teme  que, com o rápido crescimento no número de casos e internamentos, o sistema público e privado de saúde entrem em colapso.

“Em 11 dias os números cresceram; ontem, estávamos com 80% de ocupação nos leitos de UTI. Quando regularmos todos pacientes das UPAs, gripários, vamos chegar a praticamente 100% leitos de UTI. Não havia outro caminho se não adotar as medidas. Estamos próximos de termos um colapso na rede pública e privada, e só há uma forma da população colaborar, que é utilizando máscara”, reforçou.

Hospital Salvador 

A Prefeitura  também anunciou que assumirá a gestão do Hospital Salvador, que passa a operar exclusivamente no tratamento da Covid-19. De acordo com o prefeito, a unidade hospitalar contará com 40 leitos de UTI e 120 leitos clínicos para o tratamento da doença.

“Será um novo hospital exclusivo para combate a pandemia, mais um hospital de campanha que estamos anunciando. Serão 20 novos leitos de UTI e 40 clínicos. Com essa decisão, o hospital terá mais 40 novos leitos de UTI e mais 120 de enfermaria, será um dos maiores hospitais de campanha da cidade”, anunciou.

Com a oferta da unidade, Salvador chega aos 246 leitos de UTI, “dentro da meta estipulada para o combate à pandemia”, de acordo com o gestor. A expectativa é que a nova unidade desafogue o sistema após unidades como o Hospital Português, o Hospital de Campanha do Itaigara e a Maternidade Professor Maria de Magalhães Neto chegarem aos 100% de ocupação de leitos Covid-19.

Rede privada

O presidente da Associação de Hospitais e Serviços de Saúde da Bahia (Ahseb), Mauro Adan, comentou nesta segunda-feira sobre a situação da rede privada de saúde. De acordo com Adan, o setor está com uma taxa de 80% de ocupação dos leitos de UTI. 

“A taxa de ocupação dos hospitais privados está elevada porque atendemos a dois tipos de pacientes. O paciente com Covid-19 e pacientes não-Covid-19, pacientes que realizam cirurgia, sofrem traumas, precisam de emergência. E nossa taxa de ocupação  é devida a esses dois públicos, que convivem harmoniosamente dentro dos hospitais, embora separados, por conta dos protocolos de segurança. Mas a taxa elevada é em função desses dois públicos.”, explicou Adan. 

A rede privada pode, segundo Adan, adaptar leitos que inicialmente não eram voltados para o tratamento da doença e somar mais esforços no combate à Covid-19. O presidente tranquilizou o público atendido pelo setor, afirmando que, até o momento, os hospitais privados têm conseguido atender a demanda.   No entanto, Adan fez ressalvas: 

“Quero alertar a população que isso não é garantia de nada, que não é para deixar ninguém em uma posição confortável. A sociedade baiana precisa adotar medidas de isolamento social. Pode faltar tudo, tudo existe um limite. O que temos hoje são leitos para pacientes que têm plano privado, mas a taxa está aumentando. O que precisa ser feito é que a população atenda às recomendações das autoridades sanitárias. Precisamos reduzir a taxa de contaminação de Covid-19.”, alertou. 

Transporte com horário alterado

O prefeito Bruno Reis apresentou, dentro do pacote de novas medidas para conter o avanço da pandemia na capital, mudanças no horário de funcionamento do transporte público. Com a ampliação do horário do toque de recolher, determinado pelo Governo do Estado, que será das 20h às 5h, a operação de transporte foi reajustada para garantir o atendimento aos usuários do sistema em Salvador.

Os últimos ônibus sairão das estações de transbordo da capital às 21h30. Já nos principais corredores de tráfego, os ônibus passarão até às 20h30. O metrô tem última viagem programada para as 20h30. O serviço será retomado a partir das 4h30 do dia seguinte, para atender os usuários que necessitam do transporte antes das 5h.

Para atender à demanda, serão disponibilizados 21 veículos de frota reguladora, que ficarão distribuídos entre as estações da Lapa, Pirajá, Mussurunga e Acesso Norte. Além destes, serão mantidos os oito veículos reguladores para a operação assistida na região do Subúrbio.As mudanças têm início já nesta segunda-feira. 

De acordo com a prefeitura,  agentes de trânsito e transporte estarão nos principais pontos de tráfego da cidade monitorando a situação e realizando os ajustes necessários para garantir o atendimento aos cidadãos.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *