Mandetta cita risco de infarto ao não indicar uso de cloroquina

Mandetta cita risco de infarto ao não indicar uso de cloroquina
Recomendação é que remédio seja ministrado em hospitais Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reafirmou nesta quarta-feira, 15, a não recomendação de utilização do medicamento cloroquina foram de hospitais para o tratamento de Covid-19. O ministro ressaltou que embora a utilização do remédio não seja proibida, o paciente precisa estar ciente dos riscos de arritmia e infarto.

Ainda de acordo com Mandetta, o ministério está custeando estudos que envolvam o uso da cloroquina em pacientes com o novo coronavírus, mas que a recomendação é que a droga não seja utilizada fora de hospitais, pois o paciente corre riscos de sofrer com efeitos colaterais que poderiam ser mais facilmente controlados em uma uma unidade hospitalar.

“O Ministério da Saúde fazer um protocolo, recomendar uso geral da cloroquina para pessoas fora do ambiente hospitalar, acima de 60, 70, 80 anos, falando que isso vai solucionar o problema… A gente cai numa coisa que Hipócrates falava: Demonstre. Ou se baseia na ciência ou fica no ‘eu acho’, ‘na minha experiencia’, ‘eu tenho visto muitos casos’, ‘a impressão que eu tenho’. Em ciência, é a pior evidência”, declarou em entrevista coletiva.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *