“Eu diria que a pandemia está sob controle”, diz secretário sobre possível 2ª onda em Salvador

“Eu diria que a pandemia está sob controle”, diz secretário sobre possível 2ª onda em Salvador
Secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, participou do 'Isso é Bahia'Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE

Pacientes que não fizeram acompanhamento de outras doenças durante a pandemia. Aglomerações em festas de paredão e em algumas praias de Salvador. As autoridades têm alertado para que as medidas de prevenção continuem, o que pode se evitar, ou pelo menos, diminuir a possibilidade de uma segunda onda de infecção em massa com o coronavírus como, de acordo com a Fiocruz afirma estar acontecendo em Manaus.

De acordo com o secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, em entrevista na manhã desta quarta-feira, 28, para o ‘Isso é Bahia’, da rádio A TARDE FM, a pandemia pode ser considerada controlada na capital baiana e o risco de uma segunda onda ainda é baixo.

“Por enquanto eu diria que a pandemia está sob controle. A palavra que rege este momento é equilíbrio, pois estamos há sete meses em uma pandemia, em uma cidade pobre, em um país pobre. Claro que governar é escolher prioridade e nossa prioridade é a vida, mas precisamos também não matar as empresas da nossa cidade. Por isso há necessidade da flexibilização”, diz Leo Prates.

O secretário também destacou a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da cidade, que se mantém em 50%, mesmo após a desativação de alguns leitos de atendimento para Covid-19.

“Este valor é um índice excelente. Vale lembrar também que todas as medidas restritivas são para que o sistema público de saúde comporte e dê atendimento para todas as pessoas, que possa atender bem as pessoas”, comenta.

SUS

Durante entrevista para o ‘Isso é Bahia’, o secretário de Saúde frisou a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil e como ele mostrou sua necessidade diante de uma pandemia.

Leo Prates também lembrou que um dos pilares da campanha do candidato Biden para as eleições nos EUA é a vacinação gratuita contra Covid-19. “Veja que nos Estados Unidos, que não tem sistema público de saúde, quem não tem dinheiro está morrendo Aqui temos um dos melhores programas do mundo de imunização coletiva”, pontua o secretário de Saúde.

Que finaliza: “Houve problemas do SUS em alguns locais, como Manaus, com cenas tristes, mas muito mais por não ter uma ação rápida e urgente do que por uma fragilidade do Sistema Único de Saúde”.

1 comment

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

1 Comment

  • isabella
    28 de outubro de 2020, 09:45

    Pura mentira, trabalho em hospital público e os casos continuam aumentando, pacientes e funcionários se reinfectando, tudo palanque político. Quando passar as eleições veremos a desgraça que vai ser com o aumento enorme dos casos

    REPLY