Estudo aponta que medidas de isolamento social evitaram mais de 3 milhões de mortes na Europa

Estudo aponta que medidas de isolamento social evitaram mais de 3 milhões de mortes na Europa
Pesquisa considera o impacto da quarentena em 11 paísesFoto: Jonathan Nackstrand | AFP

As medidas de isolamento social, incluindo o fechamento do comércio e de escolas, reduziram as taxas de transmissão da Covid-19 (novo coronavírus) na Europa, e podem ter evitado mais de três milhões de mortes. É o que aponta um estudo de modelagem do impacto da quarentena em 11 países, desenvolvido por cientistas da Imperial College, de Londres.

A equipe de pesquisadores estimou que, no início de maio, entre 12 e 15 milhões de pessoas nos 11 países pesquisados (Áustria, Bélgica, Reino Unido, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Noruega, Espanha, Suécia e Suíça) estavam infectadas com o vírus. Ao comparar o número de mortes contabilizadas com as mortes previstas pelo modelo, caso nenhuma medida fosse imposta, os pesquisadores descobriram que cerca de 3,1 milhões de mortes foram evitadas.

Um segundo estudo realizado por cientistas nos Estados Unidos, publicado em paralelo ao da Imperial College na revista Nature, estimou que as políticas de quarentena implementadas na China, Coreia do Sul, Itália, França, Irã e Estados Unidos impediram ou retardaram aproximadamente 530 milhões de casos da Covid-19.

1 comment

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

1 Comment

  • Claudio
    9 de junho de 2020, 14:27

    Tão de brincadeira, o Imperial College errou FEIO nas suas previsões catastróficas sobre a pandemia, basta ver que NENHUM país do mundo que NÃO adotou o isolamento social foi atingido do modo que a entidade previu… nenhum!
    Melhor acreditar em duendes, kkk.

    REPLY