Bruno faz coro às criticas de Vilas-Boas e Rui ao governo federal no caso Pfizer

Bruno faz coro às criticas de Vilas-Boas e Rui ao governo federal no caso Pfizer
Prefeito cobrou celeridade para aprovação de novos imunizantes que possam ser usados na campanha de vacinaçãoFoto: Olga Leiria | Ag. A TARDE

Por Fernando Valverde

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), se juntou ao governador Rui Costa (PT) e ao secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, nas críticas ao governo federal após a demora para a liberação da vacina da Pfizer, por parte da Anvisa, que resultou na venda de doses que estariam “acordadas” com o estado para outros países.

“A vida e assim. Quando se demora para tomar decisões, ainda mais na vida pública, as coisas acontecem. A gente poderia ter iniciado a vacinação no Brasil em dezembro, porque a Pfizer foi a primeira vacina a finalizar a fase 3 e estar pronta para uso emergencial. Me associo ao secretário Vilas-Boas, até porque estamos conversando com a Pfizer não é de agora, e não estamos conseguindo adquirir. Foram disponibilizados 70 milhões de doses para o Brasil, desde agosto a Pfizer vinha conversando com o governo federal e não foram adquiridas”, lamentou.

Em entrevista para uma TV local na manhã desta quinta, 21, o governador Rui Costa (PT) afirmou que a a farmacêutica ofereceu um pré-contrato ao estado mas, como a liberação emergencial ainda não havia sido aprovada, o acordo não pôde ser assinado, algo que foi criticado por Bruno.

“Quando o governo resolver comprar já não terá mais disponibilidade. O que a Pfizer tem dito é que está tentando disponibilizar mais doses para fornecer ao Brasil, mas aquelas que estavam cedidas anteriormente foram compradas por outros países já que não havia autorização para uso aqui. É preciso mais celeridade nesse tipo de decisão”, pontuou.

A BNT162b2, como é rotulado o imunizante, apresentou 95% de eficácia na prevenção da doença e sem efeitos colaterais graves. Os resultados da terceira fase de testes da vacina já foram entregues desde dezembro para a Agência Nacional de Vigilância (Anvisa) e aguardam por certificação.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *