Brasil tem mais de 358 mil vítimas da Covid-19 desde o início da pandemia

Brasil tem mais de 358 mil vítimas da Covid-19 desde o início da pandemia
Pacientes recuperados da doença são mais de 12 milhõesFoto: Miguel Schincariol | AFP

Por Jonas Valente | Agência Brasil

O número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 358.425. Nas últimas 24 horas, foram registradas mais 3.808 mortes. Na segunda, 12, a contagem estava em 354.617 mortes. Ainda há 3.694 óbitos em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após a morte do paciente.

As informações estão no balanço diário sobre a pandemia do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta terça-feira, 13. A atualização é feita com informações enviadas por autoridades locais de saúde.

Conforme o balanço, o total de casos acumulados soma 13.599.994. Nas últimas 24h, foram confirmados 82.186 novos diagnósticos positivos. Até segunda, o número de casos acumulados estava em 13.517.808.

As pessoas recuperadas até o momento são 12.074.798. Já o número de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.166.771.

Os dados em geral são menores aos domingos e às segundas-feiras pela menor quantidade de trabalhadores para fazer os novos registros de casos e mortes. Às terças-feiras, porém, os números tendem a ser maiores, já que nesse dia o balanço recebe o acúmulo das informações não processadas no fim de semana.

Estados

São Paulo é o estado com mais mortes pela covid-19, com 84.380 registros. Em seguida, aparecem o Rio de Janeiro (39.791), Minas Gerais (28.152), Rio Grande do Sul (22.388) e Paraná (19.531).

As unidades da federação com menos óbitos são Acre (1.367), Roraima (1.408), Amapá (1.419), Tocantins (2.289) e Sergipe (3.822).

Vacinação

Até o início desta noite, haviam sido distribuídos 47,8 milhões de doses de vacinas no país.

Deste total, foram aplicados 27,8 milhões de doses, sendo 21,3 milhões da primeira dose e 6,4 milhões da segunda.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *