EUA supera os 100.000 casos declarados de coronavírus

EUA supera os 100.000 casos declarados de coronavírus
Navio-hospital chegou a Los Angeles para reforçar capacidade hospitalar pela Covid-19Foto: Mario Tama | AFP

Por AFP

Os Estados Unidos já têm mais de 100.000 casos confirmados do novo coronavírus, segundo a contagem de referência da Universidade Johns Hopkins às 21h45 no horário local (18h45 de Brasília) desta sexta-feira, 27. 

De longe, o principal foco é Nova York, onde se registra quase a metade dos casos, o que levou à superlotação do sistema hospitalar.

Os Estados Unidos têm 15.000 casos confirmados a mais que o segundo país da lista, a Itália, e 20.000 a mais que a China, onde o vírus letal foi originalmente identificado, mas os contágios agora estão em declínio.

Navio-hospital

Um grande navio hospital da Marinha dos Estados Unidos atracou no porto de Los Angeles nesta sexta para aliviar aos hospitais transbordantes do sul da Califórnia diante da nova pandemia de coronavírus. 

O USNS Mercy será o maior hospital da região, com 1.000 leitos e salas de cirurgia, e será inicialmente o centro de atendimento de referência para pacientes com outras condições além do Covid-19. 

O prefeito Eric Garcetti disse que a cidade vai enfrentar uma situação similar à de Nova York, epicentro da pandemia nos Estados Unidos, após ver um aumento de 50% no número de casos entre quarta e quinta-feiras.

“Seja em uma semana ou em duas, estaremos onde eles estão”, disse em coletiva de imprensa, ao lado do governador da Califórnia, Gavin Newsom, que indicou, por sua vez, que as autoridades estão tentando aumentar o número de leitos disponíveis.

Dos mais de cem mil casos da Covid-19, 4.500 estão na Califórnia, segundo a Universidade Johns Hopkins. Los Ángeles sofreu nove novas mortes e mais de 400 novos casos na quinta, disse Garcetti.

Noventa pessoas morreram de Covid-19 no estado mais populoso e a quinta economia do mundo. “Não vamos esperar que a crise nos atinja para depois reagir”, disse Newsom. 

“Estamos fazendo tudo o humanamente possível para nos preparar”, ampliando a capacidade hospitalar “para fazer frente a uma onda do que antecipamos que possa exigir 50.000 camas no transcurso das próximas seis a dez semanas”.

O navio, com mais de 800 tripulantes entre médicos e enfermeiros, “liberará leitos valiosos que hoje já estão 80% ou 90% cheios, para poder atender pacientes com Covid-19”, acrescentou.

As autoridades portuárias disseram que a presença de Mercy não deve afetar as operações no porto. O Mercy, um navio-tanque de 894 pés transformado em hospital, possui 15 enfermarias e um banco de sangue de 5.000 unidades. 

O governo federal decidiu enviar o Mercy para a Califórnia, a quinta economia do mundo e o estado mais populoso do país, em vez de Washington, também muito afetado, mas menos populoso.

A Califórnia registra mais de 3.000 casos confirmados de coronavírus, com 65 mortes, segundo dados oficiais. Um navio similar ao Mercy, o USNS Comfort, foi enviado a Nova York, nesta sexta, o epicentro da pandemia nos Estados Unidos.

Últimas Notícias

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *